19 de ago de 2017

Indecisão entre Romero e Cartaxo fortalece cenário das oposições para 2018, analisa Bruno Cunha Lima


O líder da oposição na Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), Bruno Cunha Lima (PSDB), afirmou que a indefinição entre Romero Rodrigues (PSDB) e Luciano Cartaxo (PSD) em ser o principal nome das oposições para disputar o Governo do Estado em 2018 é algo que fortalece o cenário oposicionista.

“[É algo que] Fortalece. Disse isso numa reunião do PSDB outro dia, quanto mais forte ambos estiverem dentro do seu próprio partido, quanto mais estruturada a pré-campanha deles dois, mais as oposições vão estar fortes. E no momento oportuno haverá essa decisão, ou um ou outro. Ou até inclusive o senador Maranhão”, analisou Cunha Lima.
O peesedebista disse que Romero e Cartaxo têm um “dever de casa” em se tratando de popularidade, e comparou os dois a Zé Maranhão. “Romero e Cartaxo têm um dever de casa. Atingirem um nível de conhecimento de Maranhão. Porque não há um paraibano sequer, de Cabedelo a Cachoeira dos Índios, que não conheça José Targino Maranhão, e a máxima não se repete para Romero e Cartaxo. Ambos precisam aproveitar os finais de semana para fazer o que estão fazendo, andarem e visitarem os municípios, para terem um nível de conhecimento que Maranhão já tem”, afirmou.
Questionado sobre Maranhão ser uma peça-chave, diante dessa popularidade assinalada, Bruno Cunha Lima desconversou e comentou os pontos fortes dos três nomes. “Maranhão não é peça-chave. Ele tem uma coisa a frente deles que é o nível de conhecimento e experiência, assim como Romero e Cartaxo tem uma coisa que tem valido muito na política, que é a novidade. No momento oportuno da decisão as características vão pesar, o que as oposições vão querer e apostar para as eleições de 2018”, disse.

Nenhum comentário:

Postar um comentário