9 de jul de 2019

Nenhuma cidade da região de Princesa Isabel é beneficiada através de emendas parlamentares

Municípios paraibanos recebem mais de R$ 51 milhões em emendas para a saúde



WhatsApp Image 2019 07 09 at 16.17.41 - TOMA LÁ DÁ CÁ? Municípios paraibanos recebem mais de R$ 51 milhões em emendas para a saúde
O Governo Bolsonaro, através do Ministério da Saúde, publicou portaria no Diário Oficial da União desta segunda-feira, 08, destinando R$ 51.451.944,00 para 77 municípios paraibanos através de emendas parlamentares da bancada federal paraibana.

Na portaria 1.682, de oito de julho de 2019, o ministro Luiz Henrique Mandetta “habilita os Municípios da lista abaixo a receberem recursos referentes ao incremento temporário do Piso da Atenção Básica, conforma anunciado na semana passada.
O que chama atenção neste caso é a publicação do incremento nas receitas municipais um dia antes da Câmara dos Deputados começar a analisar a proposta de Reforma da Previdência, que entrou em pauta no Plenário nesta terça-feira, 09.
Entre as 77 propostas, o município de São Bento vai receber o maior volume de dinheiro, serão destinados R$ 4 milhões para a saúde municipal. Seguido de Monteiro, que vai receber R$ 3.440.000,00. Em terceiro lugar entre as cidades que vão receber mais recursos está Queimadas, com R$ 2,7 milhões.
Leia a Portaria Nº 1.682, na íntegra:
Habilita Municípios a receberem recursos referentes ao incremento temporário do Piso da Atenção Básica (PAB) O MINISTRO DE ESTADO DA SAÚDE, no uso das atribuições que lhe conferem os incisos I e II do parágrafo único do art. 87 da Constituição, e Considerando a Lei Complementar nº 141, de 13 de janeiro de 2012, que regulamenta o § 3º do art. 198 da Constituição Federal para dispor sobre os valores mínimos a serem aplicados anualmente pela União, Estados, Distrito Federal e Municípios em ações e serviços públicos de saúde; estabelece os critérios de rateio dos recursos de transferências para a saúde e as normas de fiscalização, avaliação e controle das despesas com saúde nas 3 (três) esferas de governo; revoga dispositivos das Leis nºs 8.080, de 19 de setembro de 1990, e 8.689, de 27 de julho de 1993, e dá outras providências;
Considerando a Lei nº 8.080, de 19 de setembro de 1990, que dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências;
Considerando a Lei nº 8.142, de 28 de dezembro de 1990, que dispõe sobre a participação da comunidade na gestão do Sistema Único de Saúde (SUS) e sobre as transferências intergovernamentais de recursos financeiros na área da saúde e dá outras providências;
Considerando a Lei nº 13.808, de 15 de janeiro de 2019, que estima a receita e fixa a despesa da União para o exercício financeiro de 2019;
Considerando o Decreto nº 1.232, de 30 de agosto de 1994, que dispõe sobre as condições e a forma de repasse regular e automático de recursos do Fundo Nacional de Saúde para os Fundos de Saúde Estaduais, Municipais e do Distrito Federal; Considerando o Decreto nº 7.507, de 27 de junho de 2011, que dispõe sobre a movimentação de recursos federais transferidos a Estados, Distrito Federal e Municípios, em decorrência das leis citadas;
Considerando a Portaria de Consolidação nº 6/GM/MS, de 03 de outubro de 2017, que trata da consolidação das normas sobre o financiamento e a transferência dos recursos federais para as ações e os serviços de saúde do Sistema Único de Saúde;
Considerando a Portaria de Consolidação nº 2/GM/MS, de 03 de outubro de 2017, que trata da consolidação das normas sobre as políticas de saúde do Sistema Único de Saúde; e 
Considerando a Portaria nº 395, de 14 de março de 2019, que regulamenta a aplicação das emendas parlamentares que adicionarem recursos ao SUS no exercício de 2019, para incremento do Teto de Média e Alta Complexidade e do Piso de Atenção Básica, com base no disposto no art. 40, § 5º, inciso II da Lei nº 13.707, de 14 de agosto de 2018, e dá outras providências, resolve:
Art. 1º Fica habilitado o Município descrito no anexo a esta Portaria a receber recursos referentes ao incremento temporário do Piso da Atenção Básica (PAB).
Art. 2º Os recursos tratados nesta Portaria referem-se à aplicação das emendas parlamentares para incremento temporário do Piso da Atenção Básica (PAB), observando o disposto no Capítulo II da Portaria nº 395, de 14 de março de 2019.
Art. 3º Os recursos desta Portaria serão organizados e transferidos na forma do Bloco de Custeio das Ações e Serviços Públicos de Saúde.
Art. 4º As propostas de que tratam essa portaria serão processadas no Sistema de Cadastro de Propostas Fundo a Fundo, disponível no sítio eletrônico do Fundo Nacional de Saúde – www.fns.saude.gov.br.
Art. 5º O Fundo Nacional de Saúde adotará as medidas necessárias para as transferências de recursos estabelecidos nesta Portaria aos respectivos Fundos de Saúde, em até seis parcelas, em conformidade com os processos de pagamento instruídos, após atendidas as condições previstas para essa modalidade de transferência.
Art. 6º A prestação de contas sobre a aplicação dos recursos será realizada por meio do Relatório Anual de Gestão – RAG do respectivo ente federativo beneficiado.
Art. 7º. Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação.
Veja as cidades e os valores destinados a cada um deles:
1 - TOMA LÁ DÁ CÁ? Municípios paraibanos recebem mais de R$ 51 milhões em emendas para a saúde
2 - TOMA LÁ DÁ CÁ? Municípios paraibanos recebem mais de R$ 51 milhões em emendas para a saúde
3 - TOMA LÁ DÁ CÁ? Municípios paraibanos recebem mais de R$ 51 milhões em emendas para a saúde
4 - TOMA LÁ DÁ CÁ? Municípios paraibanos recebem mais de R$ 51 milhões em emendas para a saúde

Nenhum comentário:

Postar um comentário