30 de jul de 2018

O sono das pessoas inteligentes

O estudo intitulado ‘Why Night Owls Are More Intelligent’ (ou ‘ O Porquê de as Corujas Serem Mais Inteligentes’) refere que estar em controle sobre quando se deita e se levanta é um sinal de inteligência.

 Clicar no botão do ‘soneca’ é uma invenção relativamente nova e algo para o qual a evolução não preparou o ser humano. Quem costuma ativar a função, para poder dormir mais uns minutos, é mais intelectual, de acordo com os pesquisadores Satoshi Kanazawa and Kaja Perina.

 Ignorar a regra que é necessário levantar assim que o alarme toca – e ao invés, ter em atenção aquilo que o corpo precisa – significa que esses indivíduos estão mais propensos a seguirem as suas ambições e a enfrentar as dificuldades e problemas que vão surgindo no dia a dia. Kanazawa e Perina argumentam que tal torna estes indivíduos mais criativos e independentes. 

 Os resultados desta pesquisa são apoiados por um estudo semelhante realizado pela Universidade de Southampton, no Reino Unido, que avaliou a situação socioeconômica de 1.229 indivíduos em correlação com os seus padrões de sono. 

 E revelou que quem se deitava antes das 23h e acordava após as 8h ganhava mais dinheiro e era mais feliz. 

 Apesar do fato de a criatividade e de a inteligência desabrocharem durante o sono da manhã, a verdade é que dormir muito também não é aconselhável. 

 De acordo com a organização britânica National Sleep Foundation, os adultos devem dormir entre sete a nove horas por noite, de modo a manterem um estilo de vida saudável, tanto a nível físico como mental.

Nenhum comentário:

Postar um comentário