15 de ago de 2017

'Fogo amigo' na Câmara Municipal de Juru

VEREADORES GOVERNISTAS SE AUSENTAM DE SESSÃO PARA DERROTAR PROJETOS DO PREFEITO DE JURU

Apesar do conflito político ser silencioso, o clima reinante em Juru, no Sertão da Paraíba, entre os Poderes Legislativo e Executivo, é mais ensurdecedor do que as provocações verbais de Donald Trump e o ditador norte-coreano Kim Jong-un, que fazem o mundo dormir com a expectativa de acordar com uma iminente guerra com final imprevisto.
Não precisa, pois, ser um expert em política para entender a leitura que se faz no momento após a 9ª sessão ordinária de 2017, realizada na  Câmara Municipal na última sexta-feira (11), quando uma manobra de vereadores situacionistas impediu que dois projetos de interesse do chefe do Poder Executivo fossem aprovados.

De acordo com informações da presidente da Câmara, vereadora Solange Félix, as matérias constantes na ordem do dia incluíam dois projetos de lei de relevante interesse público encaminhados pelo prefeito Luis Galvão: um que dispunha sobre o parcelamento de débitos do município com o Instituto de Previdência dos Servidores Municipais de Juru - IPSERJ, e um segundo projeto, que propunha criar o Conselho Municipal da Juventude.

Pois, bem: segundo a presidente da Casa, com a ausência justificada do vereador Manoel Araújo a sessão foi aberta naquele dia com oito parlamentares mirins tendo registrado suas presenças - sete destes sendo aliados do prefeito, e, mesmo assim, o número de votos necessários para aprovação dos projetos não foi alcançado. 

Acontece que, além do voto contrário do oposicionista Diassis Lucas, os vereadores Álvaro Teixeira e Zé Nildo (do povoado Cachoeira dos Costas), ambos da base governista, ausentaram-se do Plenário antes de iniciada a votação tendo ignorado o pedido do próprio prefeito que, momentos antes, se reunira com o seu grupo para lhes pedir apoio para aprovação dos respectivos projetos.

Há quem diga que a atitude dos dois 'desertores' se trata de resquícios remanescentes ainda do resultado da realização da eleição antecipada da Mesa Diretora, quando o prefeito Luis Galvão se articulou melhor na disputa e elegeu o vereador Napoleão Marques para presidir a Câmara a partir de janeiro de  2019, contrariando assim Álvaro e Zé Nildo que se aliaram aos dois vereadores de oposição para concorrer a presidência.
O resultado de tudo isso, além de negativo aos projetos de lei apresentados pelo chefe do poder executivo, foi um embate verbal que saiu dos bastidores para as redes sociais, travado entre o vereador Álvaro Teixeira e auxiliares próximos a Luis Galvão, cuja troca de palavras serve apenas para aprofundar ainda mais essa crise que nenhum dividendo trás ao município e muito menos aos interesses políticos do prefeito. 

Fonte: (Portal Juru em Destaque)

Nenhum comentário:

Postar um comentário