26 de ago de 2017

Cássio rebate queixa de Motta sobre espaço do PSDB no governo Temer e critica “retaliação explícita”


O senador Cássio Cunha Lima (PSDB) não gostou nem um pouco dos comentários feitos pelo deputado Hugo Motta (PMDB) após um encontro do tucano com o ministro das Cidades, Bruno Araújo (PSDB-PE), acompanhado por prefeitos. Segundo a coluna Painel, da Folha de São Paulo, Motta teria dito aos correligionários que “todos os limites de paciência no aguardo de um gesto de reciprocidade” do Planalto se esgotaram.

O peemedebista estaria se referindo ao espaço dado ao PSDB no governo do correligionário Michel Temer. Deputados do partido ainda lembraram que Cássio chegou a dizer a investidores, logo após a denúncia de Rodrigo Janot, que o presidente cairia em 15 dias. Após a celeuma, o tucano, que chegou a defender a investigação contra Temer, elevou o tom das críticas. “É a velha visão do Governo de compadrio. A antiga prática do ‘dando que se recebe’, da perseguição política, da retaliação explícita. É o tal do presidencialismo de cooptação”, disparou.
A Câmara ainda estaria pregando o boicote à votação de qualquer projeto do governo Temer até o presidente receber a bancada. Hugo Motta teria dito que “se essa bancada realmente quiser se salvar, não podemos votar mais nada até o presidente conversar conosco”. Deputados mais próximos a Temer tentaram conter o movimento, mas relatam que houve “comoção” entre os parlamentares do PMDB que alegam força desproporcional ao PSDB no governo.
Fonte : 

Por: Thais Cirino

Nenhum comentário:

Postar um comentário